O YouTube começou esta semana a baixar a qualidade padrão de todos os vídeos da sua plataforma. A decisão prende-se com a necessidade de aliviar o impacto do tráfego do site nas redes de todo o mundo durante a pandemia de coronavírus, e está em sintonia com o aplicado por outros serviços, como a Netflix, Facebook e Instagram.

Ao longo dos próximos dias, todos os vídeos vão começar em 480p. Os utilizadores podem aumentar a qualidade do vídeo depois de este começar, mas o ajuste tem de ser feito manualmente.

Europa pede à Netflix e outras plataformas de streaming para não "entupirem" a Internet
Europa pede à Netflix e outras plataformas de streaming para não "entupirem" a Internet
Ver artigo

Recorde-se que Comissão Europeia pediu às grandes plataformas de streaming para adaptarem os seus serviços ao aumento da procura, de forma a evitarem o congestionamento da internet durante a pandemia. O tráfego gerado pela visualização de conteúdos em plataformas como o Netflix e o Amazon Prime Video tem aumentado exponencialmente nas últimas semanas, uma vez que as medidas tomadas para evitar a disseminação do vírus requerem o isolamento domiciliário de milhões de pessoas.

Historicamente, as visitas ao YouTube aumentam no final do dia, quando as pessoas saem do trabalho. No entanto, nas últimas semanas, a procura tem-se mantido constante ao longo do dia. Note que a utilização de serviços da Google foi responsável por maior parte do tráfego gerado em 2019, segundo um estudo realizado pela Sandvine.

O streaming de vídeo requer mais largura de banda do que o streaming de música, o texting ou as aplicações de navegação, dado o tamanho dos ficheiros que são transmitidos.

O YouTube já limitava a qualidade padrão dos vídeos com base na qualidade da ligação do utilizador, mas, na Europa, onde a velocidade média das conexões é suficiente para assistir a vídeos em, pelo menos, 1080p, o impacto da plataforma é maior.

Em comunicado, a Google esclarece que continua "a trabalhar com governos e operadoras de todo o mundo" para concluir o que mais pode fazer para "minimizar o peso dos seus serviços durante esta situação sem precedentes".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.