O lançamento estava marcado para Paris, mas a pandemia de COVID-19, que tem parado mais de meio mundo, fez com que a Huawei tivesse de mudar de planos, passando a apresentação para um modelo totalmente online, como já fizeram também muitas outras empresas.

O novo smartphone de topo de gama da marca é o primeiro a massificar a comercialização de um equipamento sem os Google Mobile Services, depois da experiência controlada do Huawei Mate 30 que o SAPO TEK já testou e que colocou nas mãos de três leitores para validar a adaptação a este novo ecossistema que a empresa chinesa está a desenvolver na sequência do embargo económico aplicado pelos Estados Unidos, e que impedem a marca de usar os serviços da Google.

Como é habitual os rumores tinham já desvendado muitas das características do Huawei P40 e P40 Pro, e sabia-se que há um modelo Pro + que só deverá ser lançado no Verão. O que já foi anunciado oficialmente é o P40 lite, o "irmão mais novo", que como já é costume surge antes do P40. O SAPO TEK já testou e mostra que este é um bom prenúncio para o que podemos esperar hoje.

Como é habitual, Richard Yu, CEO da área de consumo da Huawei, assumiu a apresentação, mas com uma plateia vazia devido à pandemia do coronavírus, começando com uma breve palavra de união em prol da inovação. "Juntos vamos tornar possível" é a sua tag para 2020, relacionado com a nova gama de smartphones P40. Richard destaca a evolução das suas câmaras fotográficas, em parceria com a Leica, produzindo sensores para capturar imagens a baixa iluminação, suportado por inteligência artificial. Lembra ainda o P30 lançado o ano passado, com o mais poderoso zoom do mercado, nomeadamente o superzoom que vê coisas que os olhos não conseguem.

Este ano, o P40 pretende manter o legado tecnológico. Os dois modelos revelados para já são o P40 e a sua versão Pro, mas também o P40 Pro+, confirmando-se assim os três modelos anteriormente conhecidos. A fabricante refere a elegância do design do modelo "Plus" em nano-tech ceramic, um modelo branco atraente, salientando os seus cantos arredondados e resistente a riscos e com acabamentos premium. O ecrã tem um uma apresentação de overflow, com os quatro cantos com efeitos únicos arredondados, o que a marca acredita ser muito suave e confortável nos momentos de fazer "swipe" com o dedo no ecrã.

O P40 Pro e o P40 Pro+ têm um ecrã de 6,58 polegadas, com uma resolução de 2640x1200, a 90 Hz, para uma experiência de visualização suave. Tem tecnologia DCI-P3 HDR para contraste e saturação de elevados níveis. E tem ainda um sistema de anti luz azul, com menos 30% de cor que fere os olhos.

A Huawei destaca ainda as molduras quase inexistentes dos modelos, sobretudo as versões Pro, com 2,65 mm de bezzel, e ainda assim bastante compacto e facilmente manuseado, quando comparado com o seu concorrente direito, o iPhone 11 Pro Max. Tem ainda uma bateria mais leve, mas com mais autonomia.

Quanto às cores dos modelos, foi revelado a versão Ice White, a nova cor misteriosa, juntamente com o Deep Sea Blue e o clássico preto. Os smartphones apresentam uma finalização em matte com sistema refractor e anti-impressão digital. Junta-se a versão Silver (prateada), assim como blush gold (dourado). O preto e branco cerâmico são cores exclusivas do P40 Pro Plus.

Câmaras em alinhamento mais profissional

Outra confirmação diz respeito ao alinhamento de câmaras. O P40 tem uma tripla Leica, com uma telefoto de 8 MP, uma ultra vision wide de 50 MP e uma ultra wide de 16 MP, preenchido por um sensor de temperatura de cor. Já a versão Pro tem um formato de quatro câmaras, incluindo uma telefoto ótico de 5X de 12 MP. Tem uma ToF camera para completar o conjunto. A jóia da coroa é o P40 Pro + com cinco câmaras. A telefoto é de 8 MP com zoom de 10X óptico.

A Huawei destaca o seu ISO de 409600 para as versões Pro e Pro +. É o primeiro a introduzir tecnologia Full Pixel Octa PD para a iluminação, usando três canais de cor suportado por algoritmos de IA para expandir a oito canais. O novo motor XD Fusion Imagem pretende garantir a melhor imagem possível das fotografias, dando como exemplo a fotografia de um leão, onde é possível ver as texturas da extremidade dos pelos. Também para imagens nocturnas e dos interiores, a exposição está perto dos zero valores, comparado com a sua concorrência.

Ainda no que diz respeito ao zoom, a Huawei atualizou o sensor de telefoto, capaz de obter imagens de 10X graças ao zoom ótico, garantindo cinco vezes mais reflexão da luz, mais 178% de caminho ótico. O zoom híbrido é de 20X, atingindo o máximo de zoom 100X, comparando-se ao Galaxy S20 Ultra. No entanto, a Huawei colocou uma imagem de comparação entre os dois modelos, como um zoom de 100X e as diferenças na qualidade eram notórias.

A funcionalidade Golden Snap gerido por inteligência artificial, serve para isolar imagens de uma sequência, destacando a melhor fotografia, para que os utilizadores não percam os melhores momentos. O sistema consegue mesmo eliminar elementos indesejados "pass by" das fotografias, tais como pessoas que são captadas no fundo.

A câmara frontal não foi esquecida e apresenta um sensor de 32 MP, com IR Depth para efeitos bokeh, assim como um sensor de ambiente e profundidade. Em todas as condições de luz a câmara promete reconhecimento facial. O sensor frontal deteta ainda quando o utilizador está a olhar para o ecrã. Tem também sistema de controlo por gestos, seja para navegar ou fazer swipe sem tocar no ecrã.

E como cereja no topo do bolo, a câmara frontal grava vídeos em 4K, já a pensar nos criadores de conteúdo. A fabricante garante mesmo qualidade elevada de vídeos gravados em baixas condições da luz, e graças ao superzoom, consegue não só tirar uma fotografia da Lua, mas gravar vídeo do satélite natural da Terra. O áudio também foi concebido com tecnologia de ponta, introduzindo três microfones direcionais, para todos os lados, geridos por algoritmos de IA.

Para os fotógrafos profissionais, há ainda um kit de luz profissional como acessório. Trata-se de um pequeno foco que permite iluminar ou fazer de flash, em diferentes tons de cor, para acompanhar sessões fotográficas em qualquer lugar. Serviu de mote para apresentar o Next-Image 2020, a competição fotográfica que se inicia a 8 de abril até 31 de julho.

Mais detalhes finais, os novos smartphones assentam no processador Kirin 990 5G e introduz o segundo cartão Nano SIM ou cartão NM se o utilizador preferir, garantindo assim mais opções de conectividade. Tem ainda SuperCharge a 40W, incluindo uma versão wireless com a mesma velocidade de carregamento. Através do smartphone pode ainda fazer carregamento inverso, para alimentar acessórios wearables, por exemplo.

O Huawei P40 tem um preço de 829,90 e o P40 Pro começa nos 1049,99 euros para a versão de 256 GB de armazenamento. Os preços estão em linha, e até acima, dos que a Huawei definiu para o P30, que custava 799 euros na versão "normal" e 1.099 euros na versão Pro com 256 GB. Recorde-se ainda que, quando foi lançado, o P20 tinha um custo de 699 euros na versão normal e 899 euros na versão Pro.

Reforço de acessórios e ecossistema Huawei Mobile Services

A Huawei mostrou ainda o sistema multijanela a funcionar, para utilizadores que necessitam fazer multitasking. O ecrã divide-se em dois, bastante arrastar elementos de um lado para o outro, se necessário, invés de alternar entre as apps.

"Celia" é o nome do novo assisnte virtual da Huawei. A Celia entra para o clube da Cortana, Alexa e Google Assistent, para ajudar os utilizadores em informações e ações de conveniência. O sistema ativa-se com a frase "Hey Celia" que vem assim reforçar a aposta da fabricante nos equipamentos domésticos IoT, utilizando o smartphone como painel de control para todos os elementos das smarthomes. MeeTime é a aplicação de video conferência da Huawei que suporta video em 4K e que vai ser alargada globalmente depois de estrear na China. Estas novas soluções vão de encontro à alternativa da ausência do Google Services.

Richard Yu apresentou ainda um novo sistema de partilha de ficheiros, sem compressão e consumo de dados. Basta um toque para emparelhar equipamentos, bastando arrastar os ficheiros entre o computador e o smartphone, por exemplo. Pode estar a falar no computador e mudar de forma instantânea para o smartphone, ou partilhar música através do Huawei Share.

Os efeitos do bloqueio económico dos EUA à Huawei

A galeria de fotos também pode ser partilhada entre equipamentos, como parte do Huawei Mobile Services. Richard Yu assume finalmente que o bloqueio económico dos EUA colocou a empresa numa posição em que precisou de encontrar soluções alternativas e o seu próprio ecossistema de serviços.  Revelou que está presente em mais de 170 países e tem mais de 400 milhões de utilizadores, assim como 1,3 milhões de produtores de conteúdos. O CEO da empresa destaca ainda que a AppGallery continua a crescer e agora a abraçar a indústria da música, deixando o convite a todos se juntarem a este ecossistema.

Ainda nos acessórios, a Huawei revelou uma capa em forma de cápsula para ser utilizado debaixo de água. Foi ainda revelado a coluna inteligente Huawei Sound X com som surround 360, com um sistema chamado Shaking Bass, um sub-woofer à prova de pó e resistente a salpicos e com 144 Watts de potência. A coluna está também sincronizada através do Huawei Share, partilhando facilmente o som transmitido pelo smartphone.

O novo Huawei Watch GT 2, com uma nova cor "Champagne Gold Edition" que promente duas semanas de bateria. O Watch GT 2e fo também revelado, com um novo design, promentendo ser mais confortável. Tem bateria para 14 dias, 30 horas em modo GPS, graças à eficiência do chip Kirin A1. Tem resistência à água de 50 metros, além de monitorização de batimentos cardíacos enquanto nada. O preço dos relógios começam nos 229 para o Watch Gt 2 e 199 euros para a versão GT 2e, neste caso ainda não confirmados para Portugal.

Terminada a apresentação, atualizámos o artigo com toda a informação.

O que já sabemos do Huawei P40

Têm surgido algumas fotos online do novo modelo da fabricante chinesa, que terá pela frente a árdua tarefa de superar o campeão no campo da fotografia, o P30. O seu zoom ótico poderoso de 10X tornaram-no um autêntico binóculo de bolso.

Os rumores que têm surgido revelam um smartphone com um design um pouco diferente. Umaa imagem de conjunto mostra pode ter um total de seis cores distintas: cinzento claro e escuro, preto, azul mar, pérola e branco, ao confirmar-se a veracidade da imagem.

tek huawei p40

Mas se a imagem cria uma espécie de ilusão ótica de um arco íris, como que a repetir duas vezes o padrão, estas servem para baralhar as três versões do equipamento. Existem dois smartphones que têm o posicionamento do flash em locais diferentes, ou seja, em baixo do conjunto dos sensores Leica. Estes dois modelos (preto e branco) têm cinco sensores, um deles em forma retangular, que são as novas câmaras periscópicas semelhante ao Samsung S20 lançado recentemente.

Ainda esmiuçando um olhar atento aos restantes modelos, conseguem-se distinguir modelos com três sensores e outros com quatro sensores (estes igualmente com um pequeno periscópio). Resumindo, olhando para o arco, da esquerda para a direita, pode observar os quatro primeiros modelos com quatro sensores; o quinto com cinco câmaras; e os restantes, excetuando o 11º também com cinco, têm todos três sensores.

tek p40

Com esta composição, calcula-se que a Huawei mantenha o esquema de três segmentos: o P40 normal, Pro e Pro+.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.