Considerando que grande parte do catálogo de videojogos da Electronic Arts assenta na componente online e nas competições entre os jogadores, como é o caso de FIFA, Battlefield, Star Wars Battlefront, Apex Legends ou Anthem, a empresa está preocupada com os comportamentos tóxicos na comunidade e pretende combatê-los. Para tal reuniu-se com um grupo de jogadores, numa mesa redonda na última Gamescom, tendo agora partilhado os resultados.

O objetivo da EA é ajudar a reduzir ou mesmo eliminar, os comportamentos impróprios no espaço online, reforçando a construção de um programa chamado Building Healthy Communities. Para essa reunião em Colónia foram convidados 13 membros do programa Game Changers para o Player Council, juntamente com empregados da EA ligados à saúde e segurança, entre eles o responsável pela WorldWide Customer Experience, EA Security, EA Studios, Global Analytics e Insights, divisões da empresa ligadas ao comportamento dos jogadores.

Entre as conclusões, foram apresentadas novas iniciativas e procedimentos para combater a toxidade online, assim como novas regras para os membros Game Changers (os influenciadores da EA). Talvez mais importante é a atualização da ferramenta para reportar incidentes, nos variados jogos da editora.

Foram ainda partilhadas dicas para a proteção de dados privados e sensíveis dos jogadores, de modo a não se tornarem alvos de membros mal-intencionados. Discutiu-se ainda a proteção das contas de acesso aos serviços da EA, incluindo a introdução de um sistema de dois fatores via telefone.

A Electronic Arts prometeu novos encontros e iniciativas em eventos com o envolvimento do chamado Player Council. A empresa espera agora colocar em prática as ideias e feedback recolhidos na reunião.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.