De acordo com a Nikkei Asian Review, a Apple poderá ver-se obrigada a atrasar o lançamento do seu primeiro smartphone 5G. Segundo o jornal japonês, a tecnológica está a enfrentar vários atrasos nas suas linhas de produção, muito por culpa dos constrangimentos causados pela pandemia de COVID-19 às linhas de abastecimento.

Os atrasos, que chegam a ser de oito semanas em alguns casos, só não estão já a afetar a chegada de equipamentos às lojas porque os trabalhadores têm feito horas extra para compensar potenciais perdas.

Face a este contexto, a Apple está a considerar adiar o lançamento do equipamento para 2021. Sabe-se que a empresa encomendou a produção de mais modelos económicos (iPhone XR e iPhone SE) do que o previsto, equilibrando a balança com uma redução no número de equipamentos com tecnologia 5G. As alterações devem-se, em parte, à iminente recessão económica que vai certamente impactar o poder de compra dos consumidores.

A gigante de Cupertino acredita que aumentar o stock destes equipamentos pode impedir que os utilizadores se sintam tentados a transitar para Android, principalmente numa altura em que o preço será um critério mais sensível na hora da compra. Segundo a analista McKinsey, 75% dos norte-americanos já alterou os seus hábitos de consumo desde o início da pandemia, optando agora por marcas mais baratas.

O lançamento do iPhone 5G tem potencial para acelerar a adoção da tecnologia, dado que a pandemia acabou por desacelerar o processo, em particular, fora da China - no primeiro trimestre do ano, 61% dos smartphones 5G foram vendidos naquele país. As analistas acreditam que o equipamento da Apple será fulcral na aceleração do processo de adoção da tecnologia, uma vez que os mercados mais importantes para a marca são a Europa e o continente americano, responsáveis por 68% das receitas geradas pela empresa nos primeiros três meses de 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.