De acordo com a TSF, a WikiLeaks divulgou hoje uma lista secreta de infraestruturas em todo o mundo cuja perda ou ataques perpetrados por terroristas podem ter um «impacto crítico» na segurança dos EUA.

O Departamento de Estado tinha solicitado em 2009 às missões americanas no mundo para identificarem locais e recursos no planeta cuja perda poderiam colocar em causa a saúde, segurança económica e/ou segurança nacional dos EUA.

São apontados locais estratégicos em todos os continentes. A lista da Wikileaks contém centenas de lugares e infraestruturas como cabos submarinos, centros chave de comunicação, portos, recursos minerais e empresas estratégicas de países como a Áustria e a Nova Zelândia.

Entre os locais considerados estratégicos para a segurança dos EUA encontra-se o Canal do Panamá, uma mina de Cobalto no Congo e várias minas na África do Sul e na América Latina.

Na área da saúde estão destacadas várias empresas farmacêuticas que produzem vacinas, na Dinamarca, Itália, Alemanha e Austrália, entre outros.

Em França, por exemplo, são consideradas estratégicas as empresas Diagast, que produz reagentes para os vários grupos sanguíneos, e a Sanofi Pasteur, que produz vacinas contra a raiva.

Em relação a cabos submarinos estão apontados locais como Caiena, a capital da Guiana Francesa, e um em Lametin, na ilha de Martinica.

De acordo com a Wikileaks no ano passado, o departamento de Estado norte-americano pediu às missões no mundo para identificar locais e recursos no planeta cuja perda poderia colocar em risco a segurança dos EUA, mas isto terá acontecido à revelia dos governos locais.

Desde a passada semanada, que o site Wikileaks, especializado na divulgação de documentos secretos, está a revelar documentos diplomáticos norte-americanos.

Fonte: TSF

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.