A Samsung está a ser acusada de fazer publicidade enganosa na Austrália. A autoridade local que monitoriza as boas práticas da concorrência comercial e os direitos dos consumidores anunciou esta quinta-feira, dia 4 de julho, que vai levar a tecnológica sul-coreana a tribunal por esta iludir os consumidores com promessas falsas acerca da resistência à água dos seus smartphones.

Desde 2016, altura em que lançou o Galaxy S7, que a maioria dos equipamentos da marca é certificada com um selo IP68, que garante a resistência à água e ao pó. Na teoria, isto significa que o telefone pode ser submergido em 1,5 metros de água, durante 30 minutos, sem sofrer qualquer sequela.

Segundo a ACCC (Australian Competition & Consumer Commission), a Samsung exagerou na comunicação destas características, uma vez que transmitiu a mensagem de que os equipamentos poderiam ser utilizados em piscinas e praias sem qualquer preocupação. A autoridade adianta que a tecnológica não testou os seus produtos o suficiente para entender como a água os pode afetar ao longo do seu ciclo de vida. Por último, é ainda dito que a empresa negou a ativação da garantia a alguns consumidores que alegaram ter tido o seu equipamento estragado por efeito da água.

A ACCC reviu mais de 300 anúncios para compor o caso. A Reuters escreve que, se for considerada culpada, a gigante sul-coreana poderá ser obrigada a desembolsar mais de 7 milhões de dólares por cada promoção lançada com promessas falsas.

[caption]tek samsung ad[/caption]

Note que apesar do certificado IP68 e dos anúncios aquáticos da Samsung, a empresa escreve também na página oficial do S10 que o telefone não deve ser utilizado na piscina ou na praia. Contudo, a empresa já anunciou que vai disputar a acusação em tribunal e anunciou que se mantém uma firme defensora dos anúncios utilizados para promover a resistância à água destes modelos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.