A decisão segue-se a um primeiro acordo assinado em 20 de dezembro de 2018, pelo qual a Renault entrou como acionista da JMEV, filial de veículos elétricos do JMCG criada em 2015.

O fabricante francês sublinhou num comunicado que aumentará o seu capital social para converter-se em acionista de referência do JMEV, com uma participação de 50%.

Através desta filial conjunta, a Renault confia num aumento da sua influência no mercado chinês e a JMCG ficará "capacitada para explorar mais recursos, favorecendo o seu rápido crescimento no futuro", adianta o comunicado.

A companhia francesa sublinhou ainda que a China é um mercado chave para a Renault.

O presidente da JMCG, Qiu Tiangao, adiantou que para a JMEV o facto de estar unida à Renault em âmbitos como o desenvolvimento de produtos ou o controlo de qualidade lhe permitirá aumentar a competitividade global e aumentar a sua penetração no mercado chinês.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.