Não estranhe se em breve vir uma máquina e não uma pessoa a fazer a sua pizza. A startup de Seattle Picnic mostrou esta semana uma plataforma automatizada para serviço de restauração e hotelaria, que numa primeira fase está focada na produção de pizzas.

Disponível para os clientes sem custos iniciais, a empresa garante que a plataforma consegue "produzir" pizzas em grande escala e com qualquer tipo de ingredientes personalizáveis de uma forma consistente e sequencial. Mas quão rápido é que este processo é? O sistema consegue fazer até 180 pizzas numa hora ou até mesmo 300 no caso das mais pequenas.

A Picnic garante que a dimensão do dispositivo não é muito grande e destaca ainda o facto de o equipamento ser flexível, pelo que se torna mais prática no que toca à sua "arrumação". "Não há necessidade de instalar braços robóticos industriais de grandes dimensões que exijam ambientes especialmente modificados ou modernos e os trabalhadores podem trabalhar próximo do equipamento sem preocupações a nível da segurança", garante em comunicado o CEO da Picnic, Clayton Wood.

[caption]Plataforma Picnic[/caption]

Assim que o cliente optar por escolher este sistema a startup entrega, instala e procede à manutenção do equipamento, para além de disponibilizar atualizaões por uma determinada taxa mensal. A empresa também pode fornecer soluções de software de design personalizado para as operadoras se integrarem aos sistemas de ponto de venda e pedidos existentes.

Esta solução já conta com vários clientes. De acordo com a startup, a empresa Centerplate já está a aplicar o sistema em Seattle enquanto a Pizza Zaucer está a seguir as mesmas pegadas mas em Washington.

A startup vai apresentar a sua tecnologia de forma mais detalhada no 2019 Smart Kitchen Summit. O evento decorre nos próximos dias 7 e 8 de outubro em Seattle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.