“A NASA abre a Estação Espacial Internacional às oportunidades comerciais”, anunciou o diretor financeiro da EEI, Jeff DeWit, acrescentando que a agência “autorizará duas missões curtas de astronautas privados por ano”.

Estes “astronautas particulares” serão transportados exclusivamente pelas duas empresas que atualmente desenvolvem veículos para a NASA: a SpaceX, com a nave Crew Dragon, e a Boeing, que constrói a Starliner.

Estas empresas vão escolher os clientes e cobrar-lhes a viagem, que custará 58 milhões de dólares (cerca de 51 milhões de euros) por viagem de ida e volta, a tarifa média que é cobrada à NASA para transportar os seus astronautas.

Além da viagem, os turistas pagarão à NASA pela estadia, alimentação, água e todo o suporte de vida a bordo, o que custará cerca de 35 mil dólares (cerca de 30 mil euros) por noite, para cada astronauta, disse DeWit.

Com uma duração de 30 dias por missão, está previsto que uma dúzia de astronautas privados poderão estar a bordo da ISS por ano.

A Estação Espacial Internacional não pertence à NASA, foi construída com a Rússia em 1998 e outros países participam e enviam astronautas, mas os Estados Unidos controlam a maioria dos módulos.

Estes “turistas espaciais” não serão os primeiros a visitar a EEI. O empresário norte-americano Dennis Tito esteve na estação em 2001, tendo pago na época à Rússia cerca de 20 milhões de dólares (cerca de 17,5 milhões de euros).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.