As previsões são da Sensor Tower e apontam para que o battle royalle tenha somado a bela quantia de 69 milhões de dólares no último mês de 2018. O valor está 16% acima do registado em julho, que com 59,3 milhões de dólares era o mês recorde até agora.

As estimativas apontam ainda para que as receitas totais na App Store em 2018 tenham atingido mais de 455 milhões de dólares, desde o lançamento em março. O número de novos downloads também tem crescido, com subidas de 59% mês a mês. As instalações em iOS deverão estar agora nos 82,6 milhões.

Com o sucesso que o título tem alcançado (que parece não querer parar), não é de estranhar que Tim Sweeney, seu principal mentor e fundador e CEO da produtora Epic Games tenha entrado para o Top500 dos multimilionários da Bloomberg. E entre a primeira metade: ocupa a posição 195.

A agência avalia o “portfolio” de Sweeney em 7,16 mil milhões de dólares, o que o coloca bem acima do “rival” (quase 3.000 milhões) Gabe Newell, da Valve, em 368º, ou ligeiramente acima de figuras conhecidas como o criador da franquia Star Wars, George Lucas, de Steven Spielberg ou de Giorgio Armani.

De qualquer forma, acrescente-se que ainda está longe de Mark Zuckerberg, Jeff Bezos ou Elon Musk...

De acordo com a Bloomberg, a maioria da fortuna de Sweeney vem da participação de 44,7% na Epic Games, avaliada em perto de 15 mil milhões de dólares. O sucesso do Fortnite é recente, mas a produtora de videojogos conta ccom quase 30 anos de existência, sendo conhecida sobretudo pelas séries Unreal Tournament e Gears of War, mas mais ainda pela sua "tecnologia de ponta", o motor gráfico Unreal, que alimenta uma grande percentagem de videojogos.