Não estranhe o título óbvio e aberto, é que o modo Volta é a grande atração da nova edição de FIFA, introduzindo uma campanha narrativa, desta vez, centrada no futebol de rua. Todos os heróis do futebol, seja um Cristiano Ronaldo ou Leonel Messi tiveram obviamente as suas origens, a jogar “à bola” com amigos, seja nos campos ou mesmo na rua. E é mesmo essa história que a Electronic Arts pretende recriar no modo narrativo do modo Volta.

Para quem acompanha a série desde os primórdios, lembra-se certamente da subsérie spin of FIFA Street. Os jogadores encontravam-se em arenas espalhadas um pouco por todo o mundo, em que as acrobacias eram o principal destaque. Ainda que esse cenário seja muito parecido, o modo Volta pretende deixar um pouco dessa fantasia de lado, para se concentrar no aspeto mais realista.

Ainda assim, as regras do Volta são diversificadas naquelas partidas que podem ser disputadas em equipas de três contra três, com ou sem guarda-redes, utilizar os paineis laterais para fazer ressaltos, entre outras regras. Mas pode também jogar o chamado futebol cinco, recorrendo a regras oficiais desta modalidade futebolística cada vez mais popular.

O modo história decorre um pouco como A Jornada, em que os jogadores caracterizam um atleta através do poderoso editor, desbloqueando acessórios ao longo da sua carreira, e depois partem para uma aventura futebolística à procura da fama e reconhecimento, e claro, ser o “maior do bairro”.

O modo Volta inclui ainda jogos online contra amigos, possibilidade de criar ligas ou partidas rápidas. Há ainda o modo Volta World em que o jogador tem de defrontar equipas que foram criadas pela comunidade. Este modo é muito curioso, porque em casa de vitória, poderá “roubar” um jogador da equipa contrária para fortalecer o seu plantel de rua.

Obviamente que FIFA 20 continua a expandir o núcleo da experiência que vem oferecendo ao longo dos anos. E nesse caso o FIFA Ultimate Team continua a ser o principal foco de interesse, sobretudo pelas competições de eSports do qual o jogo é bastante explorado, sobretudo em Portugal. Há novos objetivos para as temporadas de FUT, que ajudam os jogadores a tornarem-se mais focados nas respetivas recompensas. E esses desafios estendem-se às Squad Battles, acrescentando ainda mais conteúdo para os jogadores ganharem moedas para adquirir as famosas, embora polémicas, carteirinhas de jogadores para compor a equipa.

No modo carreira, há um maior impacto daquilo que se passa “fora do campo”, ou seja, a relação com a imprensa e mesmo entre os jogadores e dirigentes. Nesse sentido, há mais diversidade de respostas, e mediante as situações estas podem ter impacto (positivo ou negativo) na própria performance em campo. Os jogadores podem pedir explicações quando colocados na lista de transferências, por exemplo.

No que diz respeito à jogabilidade, este ano a EA Sports quis tornar a experiência mais realística, mas ao mesmo tempo mais tática, ainda que isso signifique um jogo com menos ritmo, mas não menos divertido. A ideia é oferecer uma experiência imediata, sem a habitual curva de aprendizagem presente em versões anteriores.

No entanto, o jogador terá mais controlo sobre os efeitos dados ao esférico quando faz remates, e isso poderá ser sobretudo observado em marcação de tentos de bola parada. No entanto, com a bola corrida, a sua física pretende ser melhor, ressalvando que jogador e esférico são elementos separados, o que dará mais oportunidades de ressaltos e bolas “perdidas”.

E para que possa viver aqueles momentos de glória, de forma mais épica, quando marca um golo, FIFA 20 permite agora festejar com toda a equipa.

São várias as novidades de FIFA 20, com o modo Volta como cabeça de cartaz. O jogo chega às lojas esta sexta-feira, 27 de setembro, em versões PC, PS4 e Xbox One.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.