*Atualizada às 23h41 de 15 de julho com novas informações

Os bilionários Elon Musk, Jeff Bezos e Bill Gates estão entre as várias personalidades do Twitter que se tornaram alvos de hackers nesta quarta-feira (15) em um aparente golpe de bitcoin.

As contas oficiais dos políticos americanos Barack Obama e Joe Biden, além do casal de celebridades Kanye West e Kim Kardashian, também reproduziram pedidos de doações na criptomoeda.

“Todo mundo está me pedindo para retribuir, e agora é a hora”, disse um tuíte da conta de Gates. “Você envia US$ 1.000, eu lhe envio de volta US$ 2.000.”

Os tuítes foram excluídos apenas alguns minutos após serem publicados.

Cameron Winklevoss, que junto com o irmão Tyler foi declarado o primeiro bilionário de bitcoin do mundo em 2017, tuitou alertando as pessoas a não caírem no “golpe”.

No curto período em que esteve online, o endereço exibido nos tuítes recebeu centenas de contribuições, totalizando mais de US$ 100.000 (cerca de R$ 530 mil).

Na conta oficial de Musk, havia a promessa de oferecimento em dobro de qualquer pagamento em bitcoin “na próxima hora”.

“Estou me sentindo generoso por causa da covid-19″, dizia o tuíte, junto com um link para pagamento.

Um tuíte desse foi publicado, depois deletado; em seguida, surgiu um segundo e um terceiro reproduzindo a mensagem.

Além destas personalidades, empresas como Uber e Apple também foram atacadas.

Tuíte de Musk em conta hackeada
'Estou me sentindo generoso', diz tuíte em conta de Elon Musk hackeada créditos: Twitter
Tuíte da Apple em conta hackeada
Empresas como a Apple também tiveram contas atacadas créditos: Twitter

Depois do ataque, todas as contas verificadas do Twitter ficaram por um período impedidas de postar.

O Twitter comunicou estar investigando o incidente e afirmou que divulgaria um posicionamento em breve.

Falando à agência de notícias Reuters, Dmitri Alperovitch, um dos fundadores da empresa de cibersegurança CrowdStrike, avaliou que o episódio “parece ser o pior ataque hacker a uma mídia social grande já feito”.

Joe Tidy, repórter que cobre cibersegurança na BBC News, também classificou como “sem precedentes” o ataque, por sua dimensão. Confira a análise completa dele abaixo.


‘O máximo de dinheiro o mais rápido possível’ – Análise de Joe Tidy, repórter de cibersegurança na BBC News

Golpes do tipo “dobre seus bitcoins” são uma praga recorrente no Twitter há anos, mas isso (que aconteceu na quarta-feira) não tem precedentes em contas verdadeiras de figuras públicas violadas em larga escala.

O fato de tantos usuários diferentes terem sido comprometidos ao mesmo tempo implica que este foi um problema com a própria plataforma do Twitter.

As primeiras hipóteses são de que alguém tenha conseguido obter algum tipo de privilégio na administração de dados e, depois, foi capaz de controlar as senhas de praticamente qualquer conta que desejasse.

Com tanto poder na ponta dos dedos, os autores do ataque poderiam ter causado muito mais estrago com tuítes mais sofisticados — e com potencial de prejudicar a reputação de um indivíduo ou organização.

Mas o objetivo parece ser evidente: fazer o máximo de dinheiro o mais rápido possível. Os hackers sabiam que os tuítes não ficariam no ar por muito tempo, então foi um ataque tipo o golpe criminoso smash and grab (algo como quebrar uma janela e pegar o que estiver pela frente).

Há relatos conflitantes sobre quanto dinheiro os hackers ganharam. E, mesmo quando uma cifra é definida, é importante lembrar que os cibercriminosos são conhecidos por colocar seus próprios fundos em carteiras de bitcoins para fazer o golpe parecer mais legítimo.

De qualquer forma, será muito difícil capturar os criminosos seguindo a rota do dinheiro. Os operadores da lei, assim como muitos usuários irritados, terão algumas perguntas incisivas para o Twitter sobre como isso pode ter acontecido.



Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=7WetVUOSfm4

https://www.youtube.com/watch?v=tQXiL9v1060

https://www.youtube.com/watch?v=JggNKqaw3gc

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Os textos do parceiro BBC News estão escritos total ou parcialmente em português do Brasil.