Os famosos ecrãs “touch screen” são cada vez mais populares em electrónicos. Praticamente toda a gente já aprovou a facilidade de apontar o dedo na função que deseja.

Porém, quando se trata de experiência sensorial, quem sente algo é só o ecrã (por sinal, os nossos dedos). O mais próximo que um ser humano chegou de uma resposta ao toque vem de actuadores mecânicos, que vibram a tela quando os dedos a tocam.

Quando os dispositivos que empregam TeslaTouch chegarem ao mercado, isso pode mudar. Segundo o site Livescience, TeslaTouch é uma nova tecnologia de ecrã sensível ao toque que promove “feedback táctil”, chamado de eletrovibração porque usa cargas eléctricas ao invés de um dispositivo mecânico para criar uma sensação localizada de vibração e atrito.

O TeslaTouch permite que os dedos sintam o que o ecrã está a mostrar. Quando se move um arquivo no ecrã com o dedo, pode-se sentir o quão grande ele é. O TeslaTouch também pode fornecer uma ampla variedade de sensações como texturas, fricções e vibrações.

Segundo os pesquisadores citados pela Livescience, a técnica é chamada de TeslaTouch porque nela usa-se uma tensão relativamente alta. A tecnologia recebeu o nome de Nikola Tesla, cientista sérvio cujo trabalho revolucionou o campo do electromagnetismo.

Um teclado virtual num "touch screen" equipado com TeslaTouch permitiria que os utilizadores sentissem a localização das teclas. Quando os utilizadores clicassem num arquivo para arrastá-lo para uma pasta, seriam capazes de sentir o peso ou o tamanho do arquivo e saber se chegou ao seu destino com sucesso. Arquivos maiores, como filmes, seriam sentidos como mais pesados do que pequenos arquivos de texto. Artistas e designers poderiam sentir a tinta e o papel nos seus dispositivos.

Actualmente, o TeslaTouch só funciona para dar feedback táctil a um dedo em movimento, não em repouso, e não trabalha com múltiplos dedos; capacidades multitouch estão fora de questão por enquanto.

O TeslaTouch poderia ser incorporado numa ampla gama de plataformas, desde pequenos dispositivos portáteis até grandes superfícies multitouch. Segundo os criadores, por exemplo, é possível adicionar feedback táctil em smartphones, que são baseados na interacção do ecrã de toque único.

Eles também estão a estudar técnicas eficazes para codificar várias propriedades tácteis usando TeslaTouch, e a discutir maneiras de comercializar a tecnologia. A tecnologia TeslaTouch será demonstrada pela primeira vez, ao vivo, no International Consumer Electronics Show (CES) em 2011.

SAPO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.