Na semana passada foram lançados no mercado dois títulos completamente opostos, mas podem preencher o estado de espírito daqueles que se encontram em casa, refugiados do coronavírus. A Nintendo propõe uma visita a uma ilha paradisíaca em Animal Crossing, onde tudo é feito num ritmo relaxante e tranquilo. Já DOOM Eternal é um dos mais poderosos jogos de ação na primeira pessoa (FPS) do mercado, e promete ação com muito sangue a jorros enquanto chacina as hordas de demónios marcianos. Qual é afinal o seu estado de espírito depois de um dia intenso de teletrabalho?

Se escolheu o novo FPS da id Software então considero-o o passo seguinte daquilo que a famosa produtora realizou em 2016 quando fez o reboot de DOOM. O jogo original foi lançado em 1993 e tornou o género FPS popular a uma escala mundial, depois de Wolfenstein 3D, um ano antes, ter dado indicações de como era divertido disparar contra nazis na primeira pessoa. DOOM Eternal mantém os jogadores num ambiente frenético, onde é necessário enfrentar hordas de demónios e outras criaturas horríveis.

À disposição do protagonista “Doomguy” (ou DoomSlayer como é conhecido nos novos jogos) está um leque de armas poderosas que vão sendo desbloqueadas ao longo da história, assim como diversos mods que melhoram o seu poder de fogo, assim como para a armadura. Os mapas da aventura são enormes, repletos de áreas secretas, convidando os jogadores a explorarem cada recanto, para encontrar itens colecionáveis, vidas extras (quando morrem têm nova oportunidade de continuar no mesmo lugar, invés do checkpoint) e outros easter eggs que os fãs irão reconhecer.

Para além da ação, pautada em áreas demarcadas do mapa, que funcionam como arenas, em que para avançar é necessário eliminar as constantes vagas; certos locais requerem alguma perícia, pois os jogadores aprendem a fazer duplos saltos, desviar-se (dash) e até saltar entre barras acrobáticas para chegar a locais mais elevados. Isto significa que existem muitos puzzles para superar, interruptores de portas colocados em locais que requerem genica, o que transforma a personagem num autêntico praticamente de parkour.

O novo jogo é já considerado um dos mais desafiantes FPS do mercado, e promete arrancar cabelos mesmo na dificuldade “normal”, e ainda há duas acima para os mais duros. No entanto, os jogadores têm acesso a um arsenal que inclui a caçadeira clássica ou a versão de canos duplos cerrados, aliado a um gancho que puxa os inimigos. A famosa motosserra está de regresso, assim como lança-granadas e miniguns.

São muitas as armas disponíveis, cada uma com variações de ataque. O jogo permite ainda combinar habilidades, tais como granadas de gelo e lança-chama. E há truques para descobrir: fazer finalizações liberta munições e energia, que desta forma possibilita correr entre os inimigos, disparar e recolher o espólio. Parece fácil, certo? Não é…

Para além da campanha, que inclui masmorras secretas para descobrir, o jogo conta ainda com uma nova área pessoal da personagem, a Fortress of Doom. Nesta fortaleza poderá desbloquear itens e equipamento, assim como aceder a algumas arenas exclusivas.

Não faltam ainda as escaramuças online, que por si funciona como um jogo dentro de um jogo, para aqueles que querem digladiar-se com amigos em arenas old school. Há desafios diários, semanais e outros elementos que permitem amealhar experiência, subir de nível e desbloquear fatos e outros elementos cosméticos.

DOOM Eternal encontra-se disponível no PC, PS4 e Xbox One.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.