No que às “contas terrenas” diz respeito, o rover Curiosity aterrou no solo de Marte em agosto de 2012, percorrendo 18,7 km. Em 2013, a missão da NASA encontrou evidências de um antigo lago de água doce que oferecia todos os ingredientes químicos básicos para a vida microscópica.

Desde que chegou a Mount Sharp em 2014, a sonda todo-o-terreno analisou ambientes onde tanto a água como o vento deixaram as suas marcas. Tendo estudado mais de 600 pés verticais de rochas com marcas de lagos e águas subterrâneas, a equipa científica internacional do Curiosity concluiu que as condições habitáveis duraram pelo menos milhões de anos.

E é num dos pontos de Mount Sharp que está o próximo grande alvo científico do rover, por se acreditar que contem minerais de argila, sendo que a formação de minerais de argila requer água. Os cientistas já determinaram que as camadas inferiores de Mount Sharp se formaram dentro de lagos que outrora “banharam” a base de Gale Crater. A análise do local poderá oferecer informação adicional sobre a presença de água, da duração da sua existência e se as condições oferecidas eram adequado para existir vida.

Pode conhecer estes e outros feitos e particularidades do Curiosity Rover a partir deste endereço do Jet Propulsion Laboratory.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.