A rede ferroviária chinesa de alta velocidade é já a maior do mundo, com 7 531 quilómetros de extensão, e «funciona com segurança», disse hoje o ministro chinês dos Caminhos-de-ferro, Liu Zhijun.

«A rede chinesa tem operado bem, com equipamento seguro e bom registo de segurança», afirmou Liu Zhijun na abertura do 7º Congresso Mundial de Alta velocidade Ferroviária, que decorre em Pequim até quinta feira.

É o primeiro congresso do género organizado fora da Europa pela Union Internationale des Chemins de Fer (UIC), organização quase centenária com sede em Paris.

Os ministros dos Transportes de Portugal e de Espanha cancelaram à ultima hora a participação no congresso devido à greve dos controladores aéreos espanhóis, que no fim de semana afectou os voos na Europa e as ligações a outros continentes.

A primeira linha chinesa de alta velocidade começou a funcionar no verão de 2008, entre Pequim e Tianjin, numa distância de 120 quilómetros e com comboios que podem circulam a 350 quilómetros/hora.

Segundo os planos do governo, em 2020 a rede ferroviária da China ultrapassará os 120 000 quilómetros, 16 000 dos quais com linhas de alta velocidade.

A China detêm também o recorde mundial de velocidade ferroviária (486,1 quilómetros/hora), estabelecido na semana passada num troço da futura linha Pequim-Xangai.

Em Abril de 2007, um TGV francês chegou aos 574,8 quilómetros/hora, mas o comboio era puxado por duas locomotivas e tinha apenas três carruagens, referiu hoje a imprensa chinesa.

O novo recordista, o 'CRH380AL', fabricado na China, era um comboio de passageiros normal, com 16 carruagens e 403 metros de comprimento.

A linha Pequim-Xangai, com 1 318 quilómetros de comprimento, deverá estar concluída no próximo ano.

Pelos padrões da UIC a alta velocidade começa nos 200 quilómetros/hora.

SOL

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.