Trata-se de previsões de cenários muito improváveis, mas que ao acontecerem, poderão ter repercussões imagináveis nos mercados financeiros. Os cenários são “pintados” pela Saxo Bank, e para 2019 “prevê” cenários díspares como um perdão de dívida da União Europeia, a queda da General Electric e uma recessão na Alemanha. A aquisição da Tesla pela Apple é um desses cenários “improváveis” de acontecer.

Segundo a previsão, a Apple tem dois cenários possíveis para “torrar” os seus 237 mil milhões de dólares: ou começa a comprar as suas ações espalhadas pelos acionistas e investidores, ou abre os seus horizontes de negócio para além dos smartphones, computadores, acessórios e serviços. Indo, literalmente, à boleia dos rumores associados à marca da maçã nos últimos anos, a Apple pode entrar no negócio automóvel, numa geração onde os veículos estão digitalmente conectados.

O banco refere que, sabendo que a Tesla precisa de mais capital para atingir todo o seu potencial e que a Apple necessita de expandir o seu ecossistema para a indústria automóvel, para além do software Apple CarPlay; a empresa liderada por Tim Cook pode muito bem adquirir a fabricante de Elon Musk. A previsão do negócio prende-se na aquisição de 40% a 520 dólares por ação, basicamente 100 dólares acima da malograda mensagem de Elon Musk no Twitter sobre os fundos de investimento.

A Saxo Bank refere que este investimento faz todo o sentido, tendo em conta que se trata “apenas” de um ano de receitas da Apple, e que ambas as empresas estão em sintonia em termos de engenharia e design de hardware. Este investimento permitiria à Tesla construir diversas fábricas e unidades de produção na Europa e China, ganhando dianteira no futuro da indústria automóvel.

Pode ler as restantes previsões para 2019 do Saxo Bank.