Sandra Bour Schaeffer participou como oradora no painel “Aviões, comboios e automóveis: como viajar de forma sustentável?”, no segundo dia da Web Summit, em Lisboa.

“Um protótipo da Airbus com baterias de dois mega-watt vai voar em 2021″, adiantou a responsável, acrescentando que a meta é que os aviões com tecnologia híbrida elétrica estejam operacionais no final da próxima década.

A ideia é que estes aviões comecem por operar voos regionais, de distâncias mais curtas, e, depois, adaptá-los para viagens de longo curso.

Bour Schaeffer considerou que a neutralidade carbónica é um desafio para o setor da aviação e que não há uma única solução para o problema.

“O combustível sustentável para a aviação está quase pronto”, afirmou.

No entanto, na opinião desta responsável, a par do desenvolvimento de novas tecnologias que tornem a aviação sustentável, é preciso também adotar medidas para melhorar a gestão do tráfego aéreo, uma vez que cada vez mais pessoas optam por este meio de transporte.

“A frota atual precisa de ser renovada. O desenvolvimento incremental também é importante. Se otimizarmos a maneira como o transporte é feito, também se reduz a pegada ecológica”, acrescentou.

Segundo Bour Schaeffer, globalmente, o setor da aviação tem de reduzir as emissões de CO2 em 50% até 2050.

“Temos um dever para com as gerações futuras”, reiterou.

Fundada em 2010 por Paddy Cosgrave, Daire Hickey e David Kelly, a Web Summit é considerada um dos maiores eventos de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo e evoluiu em menos de seis anos de uma equipa de apenas três pessoas para uma empresa com mais de 150 colaboradores.

A cimeira tecnológica, que nasceu em 2010 na Irlanda, passou a realizar-se em Lisboa desde 2016, vai manter-se na capital até 2028, depois de, em novembro do ano passado, ter ficado decidida a permanência da conferência em Portugal por mais 10 anos, após uma candidatura com sucesso.

O evento decorre em Lisboa até quinta-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.