"Os réus cometeram crimes de abuso de cargo e funções, pagamento e remunerações indevidas, associação para delinquir continuada, peculato e recebimento ilegal de salários", disse o juiz da causa, Mohamed Khalid, na leitura da sentença, na quinta-feira.

O caso aconteceu no Hospital Central de Nampula, o maior da mais populosa província do país, situada a Norte do país.

Entre 2015 e 2017 foram realizadas transferências indevidas através do sistema de pagamentos do Estado para contas particulares e envolvia funcionários da contabilidade, administração, familiares e agentes económicos sem vínculo com a instituição.

O processo incluiu 16 réus, um dos quais foragido, dois absolvidos e treze condenados - oito dos quais com a substituição de pena pelo pagamento de multa.

Apesar das condenações, Freddy Jamal, representante do Ministério Público, disse não estar satisfeito com as penas anunciou que vai recorrer da decisão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.