No primeiro semestre deste ano, Moçambique,  registou três casos de tráfico de seres humanos nas províncias do sul do país, (Maputo, Gaza e Inhambane).

Para a Procuradora-geral adjunto Amabélia Chuquela são números que não representam as ocorrências ao nível do país.

“Custa-nos muito reter a ideia de que na zona centro e mesmo na zona na zona norte não temos casos de tráfico, porque a questão da exploração é uma questão séria e é uma questão que nós temos conhecimento que verificam-se nos dias de hoje”.

O combate ao tráfico de pessoas e de órgãos humanos requer acções sérias e a revisão de alguns mecanismos.

Preocupações levantadas pela procuradora geral adjunta de Moçambique por ocasião da passagem nesta terça feira ( 30 de Julho ) do Dia Internacional Contra Tráfico de seres humanos.

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.