"Estamos a trabalhar na reposição daquela infraestrutura destruída pelo ciclone Idai, em 14 de março", referiu o administrador delegado da Cornelder Moçambique, Jan de Vries, citado ontem pela Agência de Informação de Moçambique.

A empresa importou matéria-prima para reposição de 23 mil metros cúbicos de cobertura de armazéns, segundo a administração da empresa.

"O trabalho vem garantir que os utentes do corredor da Beira", nomeadamente os países da África Austral sem acesso ao mar, "continuam a ter Moçambique como opção para o manuseamento das suas cargas", concluiu.

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março e, além de danos em infraestruturas, provocou 603 mortos e afetou 1,5 milhões de pessoas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.