Em comunicado, citado pela agência Efe, as autoridades cambojanas disseram que quatro cidadãos chineses envolvidos na construção foram detidos enquanto a investigação sobre o colapso é realizada.

No local estão a decorer operações para descobrir se existem mais trabalhadores presos nos escombros, segundo o chefe da polícia da cidade, major Thul Phorsda.

Segundo o Ministério do Trabalho e Formação Profissional do país, 30 trabalhadores estavam no local quando o edifício desabou cerca das quatro horas da manhã, mas a polícia e as autoridades locais disseram não ter certeza de quantas pessoas estavam a trabalhar no prédio.

O governador da província de Preah Sihanouk, Yun Min, disse que o prédio era propriedade de um investidor chinês que arrendou terras para um condomínio, um dos muitos projetos chineses num resort de praia.

O ministro da Informação, Khieu Kanharith, na sua página oficial no Facebook, adiantou que os trabalhadores cambojanos usavam como dormitórios a estrutura inacabada e que a construção do edifício estava entre 70% a 80% concluída.

VP // JPS

Lusa/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.