"As pessoas perderam a vida quando tentavam atravessar o rio de uma margem para a outra, usando uma canoa", disse o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Gaza, Carlos Macuácua.

A canoa levava sete pessoas, entre as quais uma criança, que está entre as vítimas mortais, e os corpos foram resgatados no mesmo dia.

"É preciso respeitar a lotação das embarcações e observar as condições do tempo", afirmou o porta-voz da polícia moçambicana.

A atual época das chuvas em Moçambique, de outubro a abril, já matou 54 pessoas e afetou cerca de 65 mil, muitas com habitações inundadas, segundo dados do Instituto Nacional de Gestão de Calamidade (INGC).

O período chuvoso de 2018/2019 foi dos mais severos de que há memória em Moçambique: 714 pessoas morreram, incluindo 648 vítimas de dois ciclones (Idai e Kenneth) que se abateram sobre Moçambique.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.