Entre as vítimas, duas pessoas estão em estado muito grave, sete em estado grave e 11 com ferimentos ligeiros.

O mesmo canal cita uma fonte policial que indica que um bombeiro estará desaparecido.

Segundo várias fontes, os bombeiros já estavam no local a combater as chamas quando ocorreu a explosão, pelo que haverá dois bombeiros entre os feridos graves.

As primeiras informações indicam que o que se passou, cerca das 09:00 da manhã em Paris (08:00 em Lisboa), foi um incêndio seguido de uma forte explosão. As autoridades investigam uma fuga de gás na Rue de Trévise como a principal pista para explicar o sinistro.

A explosão destruiu montras das redondezas e vidros de janelas de habitações.

Fonte oficial da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas disse à Lusa que o Consulado de Paris está a monitorizar a situação e não há, até ao momento, informação de portugueses entre as vítimas.

A explosão aconteceu ao início de mais um dia de protestos em Paris do chamado movimento dos ‘coletes amarelos’, que se teme que pode degenerar em distúrbios.

Em toda a França estão mobilizados cerca de 80 mil polícias e agentes dos serviços de segurança.

Este é o nono sábado de mobilização contra o aumento dos combustíveis, por uma taxação mais justa e contra a queda do poder de compra.

A emblemática torre Eiffel estará fechada hoje, tal como uma dezena de museus em Paris, para prevenir qualquer impacto de uma possível manifestação marcada pela violência.

IM (EL) // FPA

Lusa/fim