A morte de um dos maiores músicos africanos, de 86 anos, foi confirmada pelo seu editor, Thierry Durepaire, no Facebook: “Ele morreu nesta manhã num hospital na região de Paris”.

O editor musicial acrescentou que “o funeral será realizado em estrita privacidade e um tributo à sua memória será organizado logo que possível”.

O saxofonista foi um dos pioneiros do chamado “afro-jazz” e deixou marcas

indeléveis na música mundial, tendo também fundido o funk com a música tradicional camaronesa.

Dibango será lembrado por gerações, desde “Soul Makossa” de 1972.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.