Os altos índices de desistência escolar, sobretudo das raparigas, estão a tirar o sono as autoridades de Educação e Desenvolvimento humano de Mocambique, admitiu o director nacional de assuntos transversais, Ivaldo Quincardete.

Segundo estatísticas oficias no decurso dos últimos cinco anos, mais de14 mil raparigas abandonaram a escola. O grande desafio, das autoridades  moçambicanas competentes, é trazer de volta ao ensino as referidas jovens.

O director Nacional de Assuntos Transversais garantiu que o sector da Educação esta a estudar formas de reter os alunos no sistema nacional de educação.

De acordo com o Ministério da Edução de Moçambique,uma das principais causas da desistência escolar das cerca de 15.000 adolescentes, tem haver com os casamentos prematuros.

As autoridades de Moçambique lançaram em meados de Janeiro o projecto STAR-G, impulsionado pela organização não-governmental Save The Children, que tem como principal objectivo melhorar as condições de vida das jovens moçambicanas.

De um montante de 14 milhões de dólares, o citado projecto será implementado, durante quatro anos, nas províncias de Tete,Manica e Gaza.

A previsão é que o projecto STAR-G beneficie mais de 15.500 raparigas, 140 escolas primárias e 35 estabelecimentos secundários das atrás referidas províncias moçambicanas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.