Esta organização de defesa dos direitos humanos refere que Murtaja Qureiris, agora com 18 anos, está a ser julgado por crimes relacionados com protestos ocorridos quando era menor, incluindo um comício que surgiu no funeral de seu irmão mais velho que foi morto durante um protesto.

Os procuradores sauditas defenderam a pena de morte para Qureiris em 2018, tendo mais informação sobre o seu caso surgido após a cadeia de televisão norte-americana CNN ter noticiado que o jovem enfrenta acusações de se juntar a um “grupo terrorista” e “semear traição”.

A Arábia Saudita intensificou a repressão aos críticos do regime.

Em abril, realizou uma execução em massa de 37 homens, que, segundo a Amnistia Internacional, incluía um jovem xiita preso aos 16 anos.

FC // ZO

Lusa/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.