Abraçou o hip hop como a sua expressão artística muito antes de escolher a carreira profissional como jurista. Tornou-se famosa apresentando líricas que versam os direitos humanos, mas a defesa dos direitos humanos faz também parte do seu dia-a-dia, em que nas horas normais de trabalho entra para o seu escritório na Associação das Mulheres de Carreira Jurídica.

Trata-se de Iveth Mafundza, uma das poucas reppistas de Moçambique que de segunda a sexta-feira usa a toga para defender os direitos dos seus constituintes e aos fins-de-semana pega no microfone para através das suas letras musicais defender os direitos dos moçambicanos.

Iveth como é conhecida nos meandros musicais diz que o facto de ser repista não afecta a sua actividade profissional, afirmando que "não tem sido fácil conciliar as duas tarefas, visto que tanto uma como outra requer de mim muito tempo e tendo em conta que o mercado de trabalho está muito concorrido tem sido difícil."

A reppista abraçou a carreira de jurista bem recentemente, numa altura em que a sua carreira musical esta no auge, sendo mais conhecida no pais como cantora e não como advogada. Porém, este facto segundo contou em entrevista ao SAPO.MZ não tem atrapalhado a sua actividade e nunca viu um seu cliente colocar um pé atrás em relação ao seu trabalho devido ao estilo de música por si interpretado e que está ligado a rebeldia juvenil.

"Não tenho conhecimento que algum dia um meu constituinte se tenha retraído por ser reppista, porque algo que normalmente faço no contexto do meu trabalho é separar de forma muito clara os momentos quando estou na minha actividade como artista e quando estou nas minhas actividades como jurista”, disse Iveth.

Por vezes, conciliar as duas actividades não tem sido tarefa fácil para Iveth Mafundza que confessa que "já pensei em desistir de cantar" por achar que a música "interfere na minha actividade profissional, devido a questões de tempo".

“O Convite ”, é o título do álbum lançado por Iveth no ano passado e tal e qual o nome sugere é um convite aos admiradores e fãs de Iveth a viajarem na sua ideologia que dentre vários aspectos, é pró-direitos humanos, cidadania activa e sobretudo pró-emancipação da mulher.

Alfredo Lituri (Texto, foto e vídeo)

SAPO MZ