Além dos mortos, a OCHA registou 103.169 afectados, dos quais 17.095 são deslocados.

As inundações têm afectado três províncias: Zambézia (48.000 afectados), Tete (51.200 afectados) e Niassa (3.900 afectados), registando-se a destruição de cerca de 12.500 casas, bem como prejuízos em estradas, pontes e outras infraestruturas.

Este balanço representa um aumento face aos dados avançados na segunda-feira, quando a OCHA anunciou ter registado 10 mortes e 63.000 afectados, incluindo mais de 10.500 deslocados, devido às inundações causadas por chuva forte em Moçambique.

No vizinho Malauí, a OCHA registou a morte de 45 pessoas e ferimentos em 577 e afirma que perto de 739.800 pessoas foram afectadas pelas fortes chuvas dos últimos dias.

Na terça-feira, o Conselho de Ministros decretou alerta vermelho para preparar o país para enfrentar o ciclone tropical Idai, que deve atingir o país na próxima quinta-feira.

Moçambique é ciclicamente afectado por calamidades naturais, com o sul a registar seca e o centro e norte cheias.