O presidente das Canárias, Ángel Víctor Torres, informou na quarta-feira, em conferência de imprensa, que o incêndio, que não causou vítimas mortais, afetou um perímetro de 112 quilómetros e que, apesar de controlado, continua a ser combatido sob o comando do executivo regional.

Ángel Víctor Torres pediu para que todas as unidades aéreas e equipas terrestres de combate ao fogo se mantenham na ilha, desde que não exista outro incêndio em Espanha, de modo a extinguir as chamas na Grande Canária.

Devido à dimensão do incêndio, que começou no sábado em Valleseco, cerca de 10 mil pessoas foram forçadas a deixar as suas casas. Muitas já conseguiram regressar a casa à medida que o fogo foi controlado pelos operacionais.

As chamas obrigaram também a encerrar cerca de duas dezenas de estradas na ilha e causaram impactos ambientais em mais de 150 espécies de plantas que também são endémicas deste território insular.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.