Lonzo contou que os ossos são de membros inferiores e eram transportados pelo homem, de 25 anos, numa pasta quando atravessava a fronteira, a 28 de Setembro, sendo que a investigação só agora foi revelada pelas autoridades.

A detenção foi realizada por agentes da Polícia de Guarda Fronteira, na região fronteiriça de Mucoco, distrito de Molumbo.

Os agentes descobriram as ossadas, após uma revista, acrescentou o porta-voz da polícia na Zambézia.

Quando questionado pela polícia, o homem apresentou versões contraditórias sobre a origem e o destino que ia dar às ossadas.

Nas regiões Centro e Norte são recorrentes casos de vandalização de túmulos para a retirada de ossadas que se acredita terem como destino curandeiros que os usam para rituais supersticiosos.

Nessas regiões e nos países vizinhos, algumas pessoas acreditam que ser "tratado" com ossadas humanas pode dar riqueza ou sorte.

Entre 2014 e 2015, uma onda de ataques provocou a morte de vários albinos e a Human Right Watch (HRW) diz ter recebido relatos de pelo menos 100 ataques registados em 2015, casos que estão associados à superstição.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.