“A existência de mais dois ventiladores no sistema nacional de saúde contribuirá certamente para, em tempos de grande adversidade pandémica, salvar vidas e melhorar a qualidade de assistência médica aos moçambicanos”, disse Francisco Ferreira, chefe de operações da Galp em Moçambique, citado num comunicado.

Aquele responsável falava durante a cerimónia de entrega da doação, que contou com a presença do ministro da Saúde de Moçambique, Armindo Tiago.

Em junho, a Fundação Galp e a organização não-governamental Helpo doaram 273 ‘kits’ de prevenção da COVID-19 para crianças da comunidade de Natôa, na província de Nampula, norte de Moçambique.

Além desta iniciativa, a fundação doou garrafas de gás a 17 centros hospitalares espalhados por todas as províncias, também no âmbito do apoio ao país na luta contra a COVID-19.

A Fundação Galp é uma instituição criada pelo Grupo Galp em 2009.

Em Moçambique, a Galp tem 62 postos de combustível e, além disso, possui 10% de participação, tal como a KOGAS e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos de Moçambique, num projeto de extração de gás natural na bacia do Rovuma, do norte de Moçambique, liderado pela Eni e Exxon Móbil.

Moçambique, que vive em estado de emergência desde 01 de abril, registou um total de 1.748 casos de COVID-19, 11 mortos e 616 recuperados.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 660 mil mortos e infetou mais de 16,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.