Cesaltina Lorenzoni, médica patologista e chefe do Programa Nacional de Controlo do Cancro, disse que a Conferência terá mais de mil participantes oriundos de todo o globo e cujo lema é: “Cancro em África: Inovação, Estratégia, Implementação”.

Só dos Estados Unidos da América, são esperados mais de 300 especialistas.

A conferência, de quatro dias, terá mais de mil participantes e ocorre numa altura em que, em Moçambique, está a aumentar consideravelmente o número de doentes com cancro.

Segundo dados oficiais, o cancro, em Moçambique, chega a matar, por ano, mais de 17 mil pessoas.

Os mais comuns são do útero, mama,sarcoma de kaposi, próstata e fígado.

Acompanhe:

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.