Chamam-se Darren Curtin e Michael Sternberg, ambos sul-africanos, residentes em Luanda, e numa das “ondas da vida”, descobriram um sonho em comum: “Transformar em obras de arte todas os chinelos esquecidos por banhistas nas praias do país”, uma missão tão bela quanto dura, cuja realização depende também do apoio das comunidades locais.

Plastic Wave Co

Em entrevista, Michael Sternberg revelou a intenção de ver o projecto crescer a todos os níveis e garantir não só o apoio às comunidades, que ficam responsáveis pela recolha e venda dos chinelos, como também ao meio ambiente, através da limpeza das praias, palco onde vê e faz brilhar uma das suas grandes paixões, o surf.

Plastic Wave Co

“O nosso projecto chama-se ‘Plastic Wave Co’ e tem a missão de recolher lixo nas praias de Angola. Por sermos surfistas, e passarmos a maior parte do tempo mar, identificamos o lixo como um dos seus maiores problemas. Para o efeito, trabalhamos com várias comunidades de praias de surf que recolhem os chinelos e vendem-nos posteriormente. Eis então que estas são lavados e tratados para uma nova funcionalidade...”, começou por explicar o surfista.

Ainda durante a conversa, Michael, que afirmou trabalhar com as comunidades das praias da Onça, Palmeirinhas e Cabo Ledo, demonstrou interesse em chegar a outros pontos do país.

Plastic Wave Co

Quadros decorativos e painéis acústicos para escritórios são, até então, os produtos confeccionados pela jovem dupla que, para o efeito, utiliza uma máquina adaptada de fazer sumo de laranja assim como paletes, cola branca e outros materiais reciclados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.