“Recuperámos 12 cadáveres e transportámos 22 pessoas com queimaduras graves para o hospital”, disse a porta-voz da polícia, Irene Ugbo, à Associated Press (AP), referindo-se às consequências de uma explosão na sexta-feira à noite em Odukpani, no estado de Cross River, no sudeste da Nigéria.

No entanto, testemunhas elevaram o número de mortos para cerca de 60.

“A polícia só recuperou alguns cadáveres, muitos outros mortos ficaram reduzidos a cinzas”, disse a testemunha Richard Johnson à AP, explicando que estavam cerca de seis dezenas de pessoas a retirar combustível quando a explosão ocorreu e não esclarecendo o motivo da queda do camião.

“Não é provável que alguém tenha sobrevivido, pois havia muito combustível”, adiantou a testemunha, que acredita que a explosão foi causada por um gerador elétrico levado para o local para ajudar a bombear o combustível para os recipientes levados pelas pessoas.

Nos últimos anos, centenas de pessoas morreram em acidentes semelhantes na Nigéria, o maior produtor de petróleo da África, porque a pobreza no país leva muitas pessoas a arriscarem as suas vidas para recolher combustível que vaza de oleodutos ou camiões.

Há cerca de um ano, 30 moradores da mesma localidade morreram enquanto recolhiam combustível de um camião envolvido num acidente.

O pior acidente do género na Nigéria ocorreu em 1998, na cidade de Jesse, quando mais de mil pessoas morreram quando explodiu um oleoduto no qual escavavam para recolher combustível.

VP // FPA

Lusa/fim