Para permitir a entrada de investidores e gestores para “dinamizar a economia”, Nyusi disse que serão autorizados voos de países selecionados “em regime de reciprocidade”.

As regras para a retoma faseada das aulas e voos serão oportunamente anunciadas pelas autoridades competentes, disse Nyusi.

Estas mudanças enquadram-se no que Nyusi argumentou como necessidade de “reformular cautelosamente as medidas” de prevenção da Covid-19 para “evitar o colapso da economia.”

Na sua declaração à nação, Nyusi prorrogou por mais um mês o estado de emergência mantendo grande parte das medidas do nível três para a propagação da Covid-19.

Nyusi anunciou igualmente medidas que permitirão o aumento de trabalhadores nos serviços, maior acesso a restaurantes e reabertura de museus seguindo a etiqueta de distanciamento.

Na área de indústria e comércio, Nyusi anunciou que as autoridades vão prosseguir com as medidas de reorganização dos mercados por forma a manter o distanciamento entre os vendedores.

Quanto ao sector dos transportes vai-se reforçar as medidas de controle dos motoristas e transportadores, sendo que o uso de máscaras e viseiras será obrigatório e a Policia de Transito é instada a realizar ações de fiscalização mais activa.

Em Moçambique, até agora  859 pessoas tiveram a Covid-19, dos quais 228 recuperaram e cinco morreram. O país regista já casos de transmissão comunitária.

Apesar do aumento de casos, o estadista lamentou o facto de existirem “compatriotas que continuam a realizar festas (…) há os que desinformam e outros que dizem que a Covid-19 é um fenômeno urbano”

Nyusi elogiou os “profissionais de saúde que mostram uma dedicação sem igual” na resposta à pandemia da Covid-19.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.