A campanha começa no III Dia Mundial dos Pobres e vai prolongar-se pelos próximos meses, com o apoio da Conferência Episcopal Portuguesa, anunciou hoje a instituição em comunicado.

“Não celebramos a pobreza, mas todas as formas de a ultrapassar”, afirma o presidente da Cáritas, Eugénio Fonseca, em comunicado divulgado pela organização.

Este ano, a já tradicional vela da Cáritas terá a forma de uma estrela e estará disponível entre novembro e janeiro, nas delegações diocesanas da organização, escolas e paróquias, bem como nas lojas de uma cadeia de supermercados.

Das verbas recolhidas com a venda, 65% destinam-se a “apoiar a ação de cada Cáritas diocesana no seu trabalho de apoio às pessoas necessitadas”, lê-se no documento, que refere que o valor restante (35%) será canalizado para Moçambique, nomeadamente para as vítimas do ciclone Idai, que em março atingiu o país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.