A história é quase tão secreta quanto a poção mágica do druida Panoramix porque a editora francesa Albert-René quer guardar o suspense até ao dia do lançamento mundial: 24 de Outubro.

Argumentista da célebre banda desenhada desde 2011, Jean-Yves Ferri inspirou-se em Vercingétorix, um lendário chefe gaulês derrotado na célebre batalha de Alésia.

Goscinny utilizou o Vercingétorix só como uma figura histórica. A Gália cai e a aldeia resiste. É tudo, depois não se fala mais em Vercingétorix. Eu foquei-me nos que o rodeavam e na sua filha. Então, imaginei este torque, que é uma jóia, pescado ao largo da Bretanha com uma gravura: ‘Rigos Duxtir’. ‘Rigos Duxtir’, em celta, significa a filha do rei”, contou Jean-Yves Ferri à RFI.

Para o 38° álbum, Jean-Yves Ferri criou uma nova personagem feminina, adolescente, e quis mostrar que, afinal, havia uma outra aldeia da Gália povoada por “irredutíveis gauleses” que também resistiam à poderosa Legião Romana.

Há também o contexto dos arvernos, que eram o povo de Vercingétorix. Eles já tinham sido evocados por Goscinny no álbum ‘O Escudo de Arverne’. Quis trazer de volta os arvernos e mostrar que há um povo que continua a resistir. Em geral, nos livros do Asterix, os que resistem são os da aldeia e agora foi bom mostrar que há outros gauleses que resistem”, explicou.

Desde a sua criação, em 1959, foram vendidos 380 milhões de livros do Astérix em 80 países. Para o novo, está prevista uma tiragem de 45 mil exemplares em Portugal, a 24 de Outubro, incluindo 1500 em mirandês. A nova aventura também deverá viajar até Angola e Moçambique em função dos pedidos, garante Vítor Silva Mota, da editora ASA.

Para o editor português, o que explica o sucesso de Astérix também em Portugal é “a genialidade dos autores” e “uma coisa que é muito pouco divulgada que é: Portugal e a língua portuguesa, foi o primeiro país onde o Astérix foi traduzido”.

Além do novo álbum, para comemorar os 60 anos de Astérix e Obélix, vai ser lançado, a 28 de Agosto, um álbum de homenagem com 60 ilustradores franceses e internacionais. Asterix também foi timbrado em moedas de dois euros, em edição limitada, e também anda a correr mundo numa colecção de selos dos correios franceses.

Outro aniversário é o do Parque Asterix, nos arredores de Paris, que completa 30 anos. A novidade é um filme de animação em 4D, em que os bancos se movem ao ritmo dos saltos das personagens e os cheiros, ventos e chuvas salpicam do ecrã.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.