Na época, o evento caracterizado pelo movimento hippie "paz e amor", deixou gravado nas memórias das centenas de milhares de jovens espectadores, os concertos de Janis Joplin, Carlos Santana, Richie Havens,Joan Baez e sobretudo do genial e lendário guitarrista criador de sons, Jimi Hendrix.

Marco histórico da contra-cultura do século vinte e do movimento Peace and Love, na época oposto à guerra do Vietname, o festival de música de Woodstock que decorreu de 15 a 18 de Agosto de 1969,num campo de agricultura, a 172 kms ao norte de Nova Iorque, celebra os seus 50 anos.

Símbolo da cultura de paz de toda uma geração, o evento representa também um dos mais ricos patrimónios da música popular contemporânea. Segundo os historiadores da contra- cultura,os três dias de música, paz e amor em Bethel, na zona rural da cidade de Woodstock, foram inspirados pelo californiano Monterey Pop Festival de 1967, também conhecido pelo nome de Summer of Love ( O Verão do Amor ) durante qual o público americano descobriu artistas como Jimi Hendrix, Janis Joplin,a banda britânica The Who, a estrela da soul music Otis Redding, o sitarista indiano Ravi Shankar, entre outros .

Depois do Monterey Pop e do festival da ilha do Wight em 1968, Woodstock em 1969 abriu caminho aos grandes eventos musicais ao ar livre, no mundo inteiro.

Entre os artistas que mais marcaram a memória de Woodstock ,estão, Richie Havens, Janis Joplin , Carlos Santana, Joan Baez e o genial guitarrista eléctrico, criador de sons, James Marshall Hendrix, aliás Jimi Hendrix.

Autor-compositor de folk, e um dos artistas na programação do evento original há 50 anos, Arlo Guthrie, entrevistado pela AFP, considerou o festival de Woodstock uma experiência humana transformadora. Nós sentimo-nos como seres humanos normais, recorda Guthrie.

Aos 72 anos de idade, Arlo Guthrie faz parte do cartaz do quinquagésimo aniversário do festival de Woodstock, no qual participam igualmente o ex-Beatle Ringo Starr, Carlos Santana e John Forgety, que em 1969 actuara rodeado pelos seus companheiros da banda Credence Clearwater Revival.

Outros sobreviventes lendários da época, como as bandas Canned Heat e Grateful Dead ( do falecido Jerry Garcia ) e Robert Plant ( ex-Led Zeppelin ) celebram os cinquenta anos de Woodstock na companhia da nova geração de artistas, representada por nomes como o rapper Jay-Z, Childish Gambino, Mac Demarco, The Black Keys e demais.

O festival de Woodstock que históricamente representou o poder da música em reunir as pessoas numa convivência pacífica, celebra os seus 50 anos sob o signo da emblemática divisa, Peace,Love, and Music! ( Paz, Amor e Música).

Recorde, há 50 anos em Woodstock, Carlos Santana e o ritualístico Soul Sacrifice, música para o espírito e o corpo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.