Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average registou a sua quarta subida consecutiva, desta vez de 0,85%, para os 26.870,10 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq valorizou 0,59%, para as 10.550,49 unidades, e o alargado S&P500 ganhou 0,91%, para as 3.226,56.

O banco Goldman Sachs, que terminou a subir 1,35%, superou as expectativas sobre os resultados no segundo trimestre, graças à atividade de corretagem, ao apresentar um lucro em alta anual de 2%, para os 2,25 mil milhões de dólares.

Por seu lado, a Moderna, que terminou a sessão em alta de 6,90%, anunciou hoje que vai começar em 27 de julho a fase final dos seus ensaios clínicos de uma vacina contra o novo coronavírus, para testar a sua eficácia em condições reais.

O anúncio foi feito pouco depois da publicação na revista científica New England Journal of Medicine dos resultados da primeira fase do ensaio da Moderna, segundo os quais a vacina experimental produziu anticorpos contra o novo coronavírus em todos os 45 participantes no ensaio.

A praça nova-iorquina, contudo, tremeu na segunda metade da sessão, quando o Nasdaq e o S&P500 se aproximavam dos seus respetivos recordes.

“Os investidores parecem hesitar em ir além destes níveis”, considerou Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities.

Para este analista, a principal razão da hesitação continua a ser o número alarmante de novas infeções de COVID-19 nos EUA, onde a pandemia progride fortemente no sul e oeste.

O total de mortes deve aumentar 15 mil até 01 de agosto, segundo a média dos modelos de 23 grupos de investigação publicada ontem por uma equipa da Universidade do Massachusetts. Mas um destes modelos aponta que o uso generalizado de máscaras pode salvar 40 mil vidas até novembro.

Entre os indicadores, realce para o da produção industrial, que continuou a subir em junho, pelo segundo mês consecutivo, em 5,4%, superando as expectativas dos analistas, segundo os dados publicados pela Reserva Federal.

Já a atividade industrial na região de Nova Iorque voltou a crescer em julho, depois de quatro meses de contração, segundo o índice mensal Empire State.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.