Naquela data, a Venezuela vai eliminar oficialmente cinco zeros da atual moeda, o bolívar forte, dando origem ao bolívar soberano, anunciou Maduro, no final de uma reunião com o gabinete económico, no palácio presidencial de Miraflores, na segunda-feira.

“Todas as operações [da PVSA] vão ser registadas com a unidade contabilística petro. Uma mudança fundamental no modelo monetário, para uma nova economia do país”, afirmou.

A partir da próxima segunda-feira, o Banco Central da Venezuela começará a publicar os valores oficiais de funcionamento, com a ancoragem do bolívar soberano no petro, dia a dia”, disse.

O petro vai ser a unidade contabilística de referência obrigatória para a empresa petrolífera estatal Petróleos da Venezuela SA (PDVSA).

Maduro decretou feriado a 20 de agosto, devido à entrada em vigor das novas moedas.

O Presidente anunciou que vai dar a conhecer, em breve, um “novo sistema salarial e um novo sistema de bens e serviços, [cujos preços vão estar] ancorados ao petro”, o que “vai significar uma melhoria substancial para os [rendimentos dos] trabalhadores”.

Nicolás Maduro declarou que será criado um sistema de subsídio direto, interno, à gasolina e aos hidrocarbonetos, produtos que passarão a ter preços iguais ao mercado internacional, como uma medida para acabar com o contrabando de combustível para países vizinhos.

“Peço a todo o país, a todos os venezuelanos, empenho para que todos os passos futuros sejam um êxito”, afirmou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.