As vendas de veículos eléctricos e híbridos registaram uma subida homóloga de 53,3%, para 777.000 unidades, impulsionadas pelos incentivos dados pelo Governo, parte da sua "guerra à poluição".

As vendas de carros eléctricos, em particular, subiram 82,1%, face ao ano anterior, para 468.000 unidades.

Caso se contabilize todo o tipo de veículos - incluindo camiões e autocarros - as vendas alcançaram 28,88 milhões de unidades, uma subida homóloga de 3%.

A produção de veículos na China ascendeu, no ano passado, a 24,8 milhões de unidades, um aumento de 1,6%.

O menor crescimento nas vendas de automóveis, face a 2016, quando se fixou em 15%, deve-se em parte à retirada de alguns incentivos fiscais, por parte do Governo, na compra de automóveis com motores até um máximo de 1,6 litros de cilindrada.

O imposto na compra daquele tipo de automóveis foi reduzido, em 2016, de 10% para 5%, visando dinamizar o mercado, num período de desaceleração da economia. Em Janeiro de 2017, aquele imposto foi revisto para 7,5% e, em 2018, voltou a fixar-se em 10%.

A China tornou-se, em 2009, o maior mercado automóvel do mundo, ultrapassando os Estados Unidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.