O resultado operacional relativo ao período entre abril e junho deteriorou-se ainda mais, quando comparado com o primeiro trimestre do ano, que registou um prejuízo de 125 milhões de dólares.

"O resultado operacional foi impactado por menores preços, além de maior gasto por movimentação [do produto]. Houve mais movimentação no segundo trimestre comparado com o primeiro e isso gera mais gastos", disse Marcelo Tertuliano, diretor financeiro da Vale Moçambique, na apresentação de resultados.

A baixa dos preços de carvão deve-se ao aumento do uso de energias alternativas e mais limpas, como o gás natural, e a um inverno ameno.

A Vale produziu 2,4 milhões de toneladas de carvão no segundo trimestre, contra 2,2 milhões no período entre janeiro e março.

Os preços recuaram 5% no segundo trimestre quando comparado com os primeiros três meses do ano.

A empresa, de janeiro a março, teve receitas na ordem de 286 milhões de dólares, contra 271 milhões de dólares no período entre abril e junho.

A baixa dos preços também influenciou nos ‘royalties’ que a empresa paga ao Estado, tendo caído de quatro milhões de dólares para 3,8 milhões de dólares.

A dívida da empresa também cresceu de 8,2 mil milhões de dólares para 8,9 mil milhões de dólares.

A Vale Moçambique previa explorar este ano 14 milhões de toneladas, mas, entretanto, reviu em baixa para cerca de 10 milhões.

A companhia brasileira explora carvão na província de Tete, no centro de Moçambique, numa mina com capacidade para produção anual de perto de 11 milhões de toneladas de carvão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.