Num comunicado, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) refere que a taxa de desemprego em fevereiro se manteve na zona euro (em 7,8%), com aumentos de duas décimas na Áustria (para 5%), Itália (para 10,7%) e no Luxemburgo (para 5,3%) e recuos de duas décimas ou mais em Portugal (para 6,3%), Holanda (para 3,4%) e Espanha (para 13,9%).

Fora da Europa, a taxa de desemprego recuou sete décimas na Coreia (para 3,7%), duas décimas no Japão (para 2,3%) e nos Estados Unidos (para 3,8%) e manteve-se no Canadá (em 5,8%) e no México (em 3,4%).

Dados mais recentes indicam que em março a taxa de desemprego se manteve tanto no Canadá (em 5,8%) como nos Estados Unidos (em 3,8%).

A taxa de desemprego jovem, de pessoas com idades entre os 15 e os 24 anos, manteve-se em 11,2% em fevereiro.

A taxa de desemprego jovem recuou uma décima na zona euro, para 16,1% (o nível mais baixo desde julho de 2008), com recuos de 1,2 pontos percentuais em Portugal (para 16,4%) e de três décimas na Letónia (para 13,2%) e na Eslováquia (para 11,6%) e aumentos de um ponto percentual no Luxemburgo (para 12,9%).

A taxa de desemprego jovem manteve-se acima de 30% em Espanha (em 32,4%), Itália (em 32,8%) e na Grécia (em 39,5% em dezembro, o dado mais recente disponível).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.