O CDC Group plc (“CDC”), um investidor de desenvolvimento do Reino Unido para África e o sul da Ásia, anunciou na Cimeira de Investimento para África, um acordo de financiamento para comércio externo no valor de US$100 milhões através do Absa Bank Limited (Absa), um dos grupos de serviços financeiros mais diversificado em África.

Esta nova injecção de fundos será utilizada pelo Grupo Absa e as suas subsidiárias em 12 países africanos, no apoio a transacções comerciais realizadas por empresas locais, PMEs e empreendedores africanos.

O financiamento ao comércio externo tem um papel central na estratégia do Absa de se tornar um banco pan-africano de referência. Este investimento permitirá ao Grupo Absa apoiar projectos junto das suas subsidiárias no Botswana, Gana, Moçambique, Quénia, Tanzânia, Uganda e Zâmbia, bem como a outros bancos correspondentes no continente africano.

Esta linha de financiamento dá seguimento a um recente acordo mediante o qual o CDC disponibilizará uma linha de crédito de US$75 milhões para o financiamento ao comércio ao Grupo Absa. O total agregado de US$175 milhões representa o maior compromisso do CDC para o financiamento ao comércio externo em África.

George Wilson, Responsável pelo Comércio Institucional no Grupo Absa, afirmou: “Ter o CDC como parceiro irá reforçar de forma significativa o nosso compromisso financeiro em impulsionar o comércio africano e apoiar de forma prática os bancos locais, empresas, PMEs e empreendedores – a verdadeira fonte de crescimento do PIB e da transformação para o desenvolvimento das economias africanas. Trata-se de um passo importante para a inversão da tendência de redução de risco (“de-risking”) em África, que tem privado o continente de financiamento ao comércio e que deverá melhorar de forma significativa a contribuição do Centro do Comércio do Absa com vista a tornar o Acordo de Livre Comércio Continental Africano (AfCFTA) no sucesso desejado.”

“O CDC tem actualmente cerca de US$850 milhões em compromissos com cinco bancos parceiros pelo que, desde 2015, já apoiou cerca de 2.000 transacções de financiamento ao comércio externo em África e no sul da Ásia”, declarou Admir Imami, Director e Responsável pela Divisão de Financiamento ao Comércio e à Cadeia de Fornecimento do CDC.

“O nosso compromisso em impulsionar o comércio africano é de primordial importância para o desenvolvimento económico e social do continente e pretende colmatar a lacuna em termos de financiamento às empresas locais que varia entre US $90 mil milhões e $120 mil milhões.

“Nos últimos anos, os bancos com sede nos Estados Unidos da América ou na Europa têm vindo a reduzir a sua exposição a África, o que tem resultado num grande défice em termos do financiamento ao comércio nos países africanos que dele mais precisam. Por seu turno, esta situação tem impedido que as empresas africanas realizem o seu potencial e aproveitem as oportunidades existentes no mercado global.

Os empreendedores africanos merecem o acesso às mesmas oportunidades que os seus homólogos nas economias mais desenvolvidas, onde é muito mais fácil obter acesso a este tipo de financiamento.”

O CDC promove parcerias com bancos internacionais e locais com a finalidade de aumentar os seus níveis de financiamento ao comércio externo junto dos seus clientes. O grupo CDC concentra o seu esforço nos países que apresentam maior dificuldade em mobilizar capitais, o que leva a uma estagnação do crescimento económico. O CDC está a desempenhar um papel crucial para preencher o fosso do financiamento ao comércio externo em África. Esta dupla parceria com o Grupo Absa é um passo importante para superar esta dificuldade.

O estímulo ao comércio por parte de empresas africanas é essencial para o alívio do nível de pobreza em países onde o PIB médio per capita é de apenas US$1,930 (*NoE 3). A força empresarial destas regiões torna-se crucial para garantir a dinamização do comércio externo. Contudo, muitas vezes enfrentam grandes dificuldades em obter acesso ao financiamento, o que leva a uma estagnação do crescimento da própria empresa, sendo o financiamento do comércio um sério desafio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.