A principal fonte de rendimento de Moçambique, a pesca e a comercialização do camarão, estão proibidas até Março deste ano declarou o director nacional das operações no ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas, Leonid Chimarizane promete mão dura contra os infractores.

“O país é rico em camarão e faz a exportação dessa espécie. Entretanto a medida de gestão tem de ser adoptada para preservar essa espécie”,referiu.

Com o camarão já escassear nas águas moçambicanas devido à pesca excessiva , Leonid Chimarizane promete mão dura contra os infractores.

“Temos a multa e agora com a lei da biodiversidade que já está estabelecida no código penal temos penalizações graves”, reconheu.

A quantidade de camarão na posse dos armazenistas é conhecida. A fiscalização vai por isso ser apertada para que seja observado o período de veda para todas embarcações de pesca industrial, semi-industrial e artesanal bem como a comercialização do produto.

Em 2017 um relatório do Fundo Mundial para a Natureza alertava para a situação e afirmava que a sustentabilidade da pesca de camarão estava ameaçada.