"A atribuição provisória destas concessões à Mutamba Minerals Sands SA e à Matilda Minerals Lda representa um marco importante para o projeto, para a Savannah e coloca a nossa parceria com a Rio Tinto numa base muito sólida", refere David Archer, presidente da Savannah.

"Considerando a grande procura por matérias-primas relacionadas com titânio, estas concessões têm potencial como projeto global significativo dentro do setor", acrescenta.

As duas licenças contíguas cobrem uma área total de 28 mil hectares nos distritos de Inharrime e Jangamo, em Inhambane, Sul de Moçambique, e as prospecções apontam para a existência de 4,4 mil milhões de toneladas de recursos com um grau de minerais pesados a rondar os 3,9%.

"O projecto Mutamba abrange um dos mais maiores depósitos de areia mineral pesada por explorar no mundo", refere o comunicado.

As concessões têm validade de 25 anos (até 2044), com possibilidade de extensão por igual período.

A Savannah tem actualmente 20% de participação no consórcio com a Rio Tinto, fatia que pode aumentar para 35% após a entrega do estudo de viabilidade preliminar, em andamento, e finalmente até 51% após a entrega do estudo de viabilidade final, conclui o comunicado da empresa.

As areias pesadas são o sexto principal produto de exportação de Moçambique, tendo representado 210 milhões de dólares em 2017, segundo o anuário do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os minerais a que usualmente se faz referência com a expressão "areias pesadas" - por serem minúsculos cristais extraídos de areia -, são usados em aplicações industriais, tais como pigmentação de tintas, sistemas de abrasão e isolamento ou produção de materiais com propriedades específicas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.