O índice desceu de 99,8 pontos em junho para 98,2 em julho e em agosto fixou-se em 97.

"O indicador do clima económico das empresas (ICEE) diminuiu ligeiramente em Agosto, apesar dos indicadores de perspectiva de emprego e da procura terem registado um incremento", refere o boletim mensal dedicado ao indicador.

"A quebra ténue do clima económico constitui uma continuação de dois meses consecutivos da sua apreciação desfavorável", acrescenta.

A avaliação "desfavorável" do clima económico em Agosto deveu-se, sectorialmente, ao abrandamento do indicador "nos ramos empresariais dos outros serviços não financeiros, construção e da produção industrial que suplantaram a apreciação positiva registada nos setores de comércio, de transportes e de alojamento e restauração".

Os indicadores de Confiança e de Clima Económico constituem uma publicação mensal sobre a conjuntura económica de Moçambique, compilada com base num inquérito de conjuntura realizado também todos os meses pelo INE às empresas do sector não financeiro.

"O estudo expressa a opinião de agentes económicos acerca da evolução e perspectiva da sua actividade, particularmente sobre emprego, procura, encomendas, preços, produção, vendas e limitações de actividade", explica o INE.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.