A Tongaat Hullet comunicou em junho aos trabalhadores da Açucareira de Moçambique, na província de Sofala, e ao Governo moçambicano que vai sair da empresa, devido a dificuldades financeiras que tornam a atividade inviável.

O ministro da Indústria e Comércio de Moçambique, Ragendra de Sousa, citado hoje pelo diário Notícias, disse que as dificuldades financeiras enfrentadas pela Tongaat Hullet se devem a má gestão.

"Estamos atentos e a falar com os interessados para não pararmos com a produção de açúcar, infelizmente, a pessoa que geriu mal nem é moçambicana", afirmou Ragendra de Sousa.

A Tongaat Hullet detém 85% da açucareira de Mafambisse e o Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE), entidade estatal moçambicana, controla os remanescentes 15%.

"O IGEPE está a negociar a parte financeira e estamos profundamente envolvidos em procurar novos gestores para as indústrias não pararem", acrescentou o governante.

Além da Açucareira de Moçambique, a Tongaat Hullet detém a maioria da Açucareira de Maragra, com 88%, enquanto os remanescentes 12% são controlados pelo IGEPE.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.