As perdas acumuladas este ano contrastam com o excedente de 3 mil milhões de dólares obtido no mesmo período de 2018, segundo o balanço financeiro com o resultado do terceiro trimestre do ano, divulgado pela empresa na quinta-feira.

O resultado negativo no período foi causado pelos custos de reparação, compensações e despesas decorrentes da rutura de uma das barragens em Brumadinho, cidade do estado brasileiro de Minas Gerais, onde a Vale acumulava resíduos minerais e que ruiu em janeiro, provocando pelo menos 251 mortos.

A empresa de mineração desembolsou, entre janeiro e setembro de 2019, um total de 6,2 mil milhões de dólares para cumprir os compromissos acordados após o acidente.

O lucro operacional da Vale, obtido antes da dedução de despesas com juros, impostos e depreciação, totalizou 7 mil milhões de dólares nos primeiros nove meses do ano, um valor 41,9 % inferior ao obtido no mesmo período de 2018.

Já a dívida bruta da empresa, que totalizou 14,7 mil milhões de dólares no final de setembro, registou uma queda de mil milhões de dólares em relação ao segundo trimestre do ano.

Apesar das perdas acumuladas em 2019, a Vale destacou que os resultados do terceiro trimestre de 2019 foram positivos, uma vez que a empresa obteve um lucro de 1,6 mil milhões de dólares no período, o que contrasta com as perdas de 133 milhões de dólares registadas no trimestre imediatamente anterior.

A mineradora brasileira atribuiu os bons resultados no terceiro trimestre a um menor impacto das despesas decorrentes da tragédia em Brumadinho, que somaram 225 milhões de dólares no período e foram alocadas em serviços de comunicação, acomodação, assistência humanitária, equipamentos, serviços jurídicos e impostos.

“No terceiro trimestre de 2019, avançamos na estabilização de nossos negócios e avançamos com nosso objetivo de reparo abrangente de Brumadinho”, frisou a empresa de mineração no balanço.

Nos primeiros nove meses de 2019, a Vale obteve um lucro operacional (dado calculado pela operação dos negócios e que subtrai as despesas administrativas, comerciais e operacionais) de 27,6 mil milhões de dólares, valor 3,2% superior ao mesmo período do ano passado.

Já no terceiro trimestre do ano, o lucro operacional da mineradora brasileira somou 10,2 mil milhões de dólares, acima dos 9,1 mil milhões de dólares registados no trimestre imediatamente anterior.

Os investimentos da Vale entre janeiro e setembro de 2019 totalizaram 2,2 mil milhões de dólares, com uma ligeira queda de 2,4% em relação ao mesmo período de 2018.

Dos investimentos no terceiro trimestre, 135 milhões de dólares foram destinados à execução de projetos e 756 milhões de dólares para a manutenção das operações.

A Vale também salientou, no seu balanço financeiro, que adotou uma série de medidas para melhorar o fluxo de informações relacionadas com os riscos provocados pelas suas atividades, citando a criação de comités executivos para deteção e gestão de riscos.

“Desde o colapso da barragem de Brumadinho, o conselho administrativo também conta com o apoio de três comités consultivos independentes para a segurança de barragens, investigações e apoio a reparos”, concluiu a mineradora.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.